Bandas/Discos | Crónicas | Livros | Eventos | DJ7 | Links | Apoios | Home


Mais Discos Fenther

Edições ao telescópio no palco Fenther...



HoneySound «2008»

A editora instalada em Barcelos continua a fazer maravilhas… Veja-se o numero de artistas com um valor infinito de qualidades. Veja-se o número de edições em grandes registos, em temas de extrema elegância… Veja-se a vontade com que esta gente trabalha e a garra que esta gente tem para nos invadir com músicas perfeitas.

Já muito aconteceu no passado. Incansáveis, continuam a deitar cá para fora o bem-estar da música portuguesa.

Falo de quatro edições apresentadas neste ano de 2008 pela Honeysound. The Partisan Seed, a compilação T.O.G. , o novo single dos Loops e Electric Willow. Nomes que já figuram há algum tempo nas prateleiras nacionais, mas que continuam a deliciar os ouvidos mais atentos.

Filipe Miranda com seu enorme projecto The Partisan Seed, consegue ainda surpreender ao editar um Single/EP. Maravilhosamente somos envolvidos na perfeição do tema “Judy(Somewhere)”. A ouvir obrigatoriamente! Com este tema surpreendente, o EP é composto por “God is a Word” e “Piano Room” na finalização. Excelente mas… queremos mais!

The Partisan Seed aparece novamente nas recentes edições da HoneySound. A compilação T.O.G. apresenta seis propostas bastante interessantes. Seis projectos que se cruzam entre eles e resultam em experiências únicas. Escutem com atenção “Unageing Games” um original de Mazgani aqui na versão criada por Filipe Miranda. O mesmo acontece ao contrário. “A Desperate Call From London” um original de The Partisan Seed revisitado pelo musico de Setúbal. Mais dois momentos deliciosos.
Aparecem ainda nesta compilação Nuno Fernandes, Walter Benjamin, A Milieu e Electric Willow, os mesmos que acabaram de editar «Nothing’s Ever Good Enough».

Chegados da Figueira da Foz e depois do brilhante «Mood Swing» o álbum de estreia, os ex Caffeine regressam para uma nova aventura. Um regresso desejado e correspondido.
A vocalização de Cláudio Mateus atingiu um patamar viciante bem diferente de tudo e todos. Isso é notório logo no primeiro tema “To Get Across”, o single deste registo.
O trio Electric Willow envolve-se em sons simples, o que faz deste projecto uma agradável companhia. Sente-se harmonia e um sentimento bem disposto. “Bad Temper’s Slave” retrata isso mesmo. Um single imediato e perfeito é “Love of the Lonely Kind”. Muito bem construído sobre uma melodia doce. Depois, ao longo dos restantes seis temas, são tiros atrás de tiros.
Uma vontade de ficar a ouvir em “repeat” todo este disco onde também aparecem alguns amigos e dão uma pequena grande ajuda para transportar finalmente os Electric Willow dos caminhos do deserto, para as auto-estradas da verdadeira musica feita em Portugal. Nós estamos aqui para lhes oferecer boleia.

De Barcelos chegam mais notícias sobre os Loops. Carlos Marques, Leonel Miranda e Filipe Alvarenga acabam de editar um single bem interessante “Marionette’s Empire”
Um impulso bastante importante, para que os Loops apresentem muito em breve o seu álbum de estreia. Aguarda-se mais movimentações!

Vitor Pinto



Mais Discos Fenther