A.A.A.
Access All Areas




Estivemos à conversa com Old Jerusalem a proposito da edição do seu novo disco "Chapels".

Fenther – Como está Old Jerusalem actualmente?
Old Jerusalem – Como diz a canção: “Cá se vai andando, com a cabeça entre as orelhas” :-)

Fenther – Sentes-te como um cantautor inspirado ou inspirador?
Old Jerusalem– Claramente mais inspirado por coisas do que inspirador de coisas.

"Recomendaria às novas gerações alguns discos portugueses essenciais e talvez meio esquecidos e injustiçados apesar de serem excelentes, coisas como “O rapaz do trapézio voador” dos Rádio Macau, ou o “Mãe” dos Heróis do Mar."

Fenther – Podes levantar um pouco as pontas deste disco?
Old Jerusalem– É um disco muito simples, directo, intimista e espartano.

Fenther – A inspiração vem de onde?
Old Jerusalem– Das mil e uma coisas de que a vida se compõe, boas e más.

Fenther – Convidados no disco?
Old Jerusalem– Ele não chegou a ser formalmente “convidado” :-), mas o Jorge Coelho (Torto, Tenaz, ex-Zen, ex-Cosmic City Blues, etc...) é co-autor e toca guitarra em 2 dos temas do álbum.

"Este é um disco muito simples, directo, intimista e espartano."

Fenther – Ao vivo por onde vais estar em breve? Há novidades em palco? Quem vai estar contigo desta vez?
Old Jerusalem– Ainda estamos a equacionar as possibilidades que existem para os concertos. Estas canções têm características específicas e não funcionarão em qualquer contexto. Para este disco os espectáculos serão muito provavelmente a solo.

Fenther – Estado da nova musica nacional? De saúde? Que recomendas?
Old Jerusalem– Parece-me estar de muito boa saúde criativamente. Recomendo sempre as canções da Francisca Cortesão e da Mariana Ricardo, mas se calhar ultimamente recomendaria também que se apresentassem às novas gerações alguns discos portugueses essenciais e talvez meio esquecidos e injustiçados apesar de serem excelentes, coisas como “O rapaz do trapézio voador” dos Rádio Macau, ou o “Mãe” dos Heróis do Mar.

Fenther – Mensagem final...
Old Jerusalem– Czeslaw Milosz: “When it hurts we return to the banks of certain rivers”. Só porque é bonito e me ocorreu. :-)

Vitor Pinto



      geral@fenther.net       Ficha Técnica     Fenther © 2006