Aftershow
Eventos
Discos
Banda X
Porta 253
Borlas
Fenther TV
Passatempos
Arquivo
Enciclopédia
Ficha Técnica



















































































A.A.A.
Access All Areas


Estivemos à conversa com Niki Moss a propósito do seu novo trabalho.

Fenther – Quem é e de onde chega Niki Moss?
Niki Moss – Niki Moss é o meu projecto a solo, que á algo que já estava nos planos há muito tempo, mas como tenho tocado sempre em várias bandas nunca senti um chamamento suficientemente forte para o fazer. Após a minha banda (Savanna) ter entrado numa pausa senti a necessidade de continuar a compor canções. Foi o momento perfeito para me aventurar a solo.

Fenther – Depois de editado o álbum "Gooey" o que foste fazendo até chegar a este EP?
Niki Moss– Tenho estado a apresentar o disco por este Portugal fora em vários concertos de norte a sul do país.

"Para já quero acabar o segundo disco e preparar uma tour na Europa."

Fenther – Em poucas palavras apresenta este "Standing in the Dark".
Niki Moss– Standing In The Dark é um tema sobre o isolamento e um sentimento de inadaptação ao mundo.

Fenther – Depois do Super Bock em Stock foste tocando em pequenos locais... O que te dá mais prazer? pequenos ou grandes palcos?
Niki Moss– Adoro os dois, o que me da mais prazer é sentir o afeto e reciprocidade do publico e isto é independente do tamanho da sala ou localidade.

"Foi o momento perfeito para me aventurar a solo."

Fenther – Como está a Pontiaq, da qual és fundador?
Niki Moss– Temos neste momento 14 artistas e estamos prestes a lançar o 15º. O nosso estúdio tem estado sempre ocupado e nunca vendemos tantos discos para fora de Portugal.

Fenther – Para além dos Savanna tens trabalhado com outras bandas nacionais?
Niki Moss– Para além de Savanna, toquei durante muitos anos com o Moullinex, toco bateria com o Castilho e tenho participado como músico em muitos discos, principalmente da minha editora. Desde que montei o estúdio da pontiaq, têm passado por lá muitos artistas e tenho gravado muitos álbuns.

Fenther – Onde queres chegar com esta tua aventura a solo?
Niki Moss– Os objetivos vão surgindo a meio do percurso, não tenho um plano a longo prazo. Para já quero acabar o segundo disco e preparar uma tour na Europa.

Fenther – Estado da música nacional actual? De boa saúde?
Niki Moss– Há muitos artistas a surgir com qualidade, originalidade e irreverencia, há muito tempo que não havia tanta gente a conseguir viver do seu trabalho como músico, isto é muito bom.

Fenther – Mensagem final...
Niki Moss– Não tenho uma mensagem específica, mas há muitas nas minhas letras. Podem lê-las no meu bandcamp.

Vitor Pinto