A.A.A.
Access All Areas




Estivemos à conversa com os Galo Cant'Às Duas sobre a edição do álbum "Cabo da Boa Esperança".

Fenther – Como estão os Galo Canta'Às Duas neste inicio de 2019?
Galo Cant'Às Duas – Felizes com o “Cabo da Boa Esperança”, em fase de promoção e a reunir a estrutura para alcançarmos o que desejamos.

Fenther – O que mudou desde "Os Anjos Também Cantam" até este registo?
Galo Cant'Às Duas– Toda uma transformação na nossa identidade enquanto compositores e Seres Humanos... está ligado.

"Sentimos que alcançámos mesmo aquilo que pretendíamos, e isso deve-se muito também à leitura que o Nuxo conseguiu alcançar de todo o ambiente."

Fenther – Podem levantar um pouco do véu deste "Cabo da Boa Esperança"?
Galo Cant'Às Duas– É um disco com uma linguagem muito mais directa, com um formato mais de canção, sem tantos floreados. Quisemos explorar mais a questão da lírica, da mensagem. Queremos dançar!!

Fenther – O disco teve uma primeira apresentação em Viseu. Como correu?
Galo Cant'Às Duas– Foi mágico!! Sala esgotada de família, amigos, desconhecidos... Foi óptimo. Trabalhámos imenso para esse pré lançamento, desde o cenário a todas as mudanças que a nossa performance sofreu. Quisemos que fosse uma noite especial e sentimos que assim foi.

Fenther – Sente-se acarinhados na vossa cidade natal? A cidade de Viseu acredita no vosso valor?
Galo Cant'Às Duas– Sem dúvida, somos uns felizardos. As pessoas interessam-se bastante sobre os nossos objectivos e estão sempre a levantar questões e a dar aquela forcinha. Vão a concertos, compram discos, ajudam-nos bastante, dançam connosco... é bem bonito. É um pouco clichét dizer isto mas é mesmo o que sentimos – este disco é de todas estas pessoas. Em breve teremos novidades em relação ao município de Viseu, a prova que acreditam no nosso trabalho.

"Quisemos explorar mais a questão da lírica, da mensagem. Queremos dançar!!"

Fenther – O Carmo'81 é a vossa casa mãe? Foi lá que tudo começou?
Galo Cant'Às Duas– O concerto em formato jam que nos juntou não foi no Carmo’81, mas afirmamos que quando resolvemos levar este projecto para a frente o primeiro concerto foi no Carmo sim. Na altura eles estavam a inaugurar, fomos visitar o espaço, identifacámo-nos e lançámos o desafio. Desde aí que estamos ligados de coração, crescemos todos bem juntinhos.

Fenther – Nuxo Espinheira conseguiu captar o vosso sentimento musical e expo-lo neste disco?
Galo Cant'Às Duas– Sem dúvida, o Nuxo é incrível. Identificámo-nos rapidamente uns com os outros, foi muito fácil. Sentimos que alcançámos mesmo aquilo que pretendíamos, e isso deve-se muito também à leitura que o Nuxo conseguiu alcançar de todo o ambiente.

Fenther – "Sobre Um Tanto Medo" serve de espelho fiel sobre este álbum?
Galo Cant'Às Duas– Foi bem complexo escolher um single, consideramos um facto positivo. Mas sim, ao fim de algumas semanas decidimos que “Sobre um Tanto Medo” poderia ser o tema que mais espelhava o disco. Apesar de ainda sentirmos que se fosse outro não ficaria a perder. É positivo, sentimos tudo muito equilibrado.

Fenther – Estado da musica Nacional em 2019?
Galo Cant'Às Duas– Incrível, muitas bandas a procurarem fora da caixa, a arriscarem. Sentimos que faltam é estruturas profissionais que possam levar estas bandas mais além. Mas mesmo assim queremos acreditar que está a mudar. Encontrar as pessoas certas é o mais complexo no meio disto tudo.

Fenther – Mensagem final...
Galo Cant'Às Duas– Cantêmos a procura de desconforto.

Vitor Pinto



      geral@fenther.net       Ficha Técnica     Fenther © 2006