Bandas/Discos | Crónicas | Livros | Eventos | DJ7 | Links | Apoios | Home


Mais Discos Fenther

Edições ao telescópio no palco Fenther...



Rita Redshoes - «Golden Era»

Inicio de um novo ano, inicio de uma nova Era. Pelo menos, para Rita Pereira assim é.

Nasceu o seu projecto a solo, Rita Redshoes e com ele entramos na Era Dourada. Falamos naturalmente do seu álbum de estreia «Golden Era» acabado de ser editado.
Um disco simples que peca por ser tão belo. Peca por ser tão perfeito.
Uma brisa de ar fresco nasceu na música portuguesa com este disco. Já há algum tempo que não sentíamos tamanha devoção por um disco completo, e naturalmente, por um projecto tão interessante.

Rita Redshoes consegue entrar pela maneira mais simples na estante de cantautores nacionais e na carteira ainda magra das grandes vozes femininas. Rita é detentora de uma voz poderosa e ao mesmo tempo cativante. O percurso de aperfeiçoamento foi longo até chegar aqui. Mas valeu bem a pena. O momento certo aconteceu, o disco foi exposto. Agora é só abrir a alma para as belas canções deste disco, que nos trás de volta a época dourada da musica.

Com ajuda de alguns amigos e com longos anos ligada ao meio musical (com os projectos Atomic Bees e a sua inseparável varinha de condão, The Photographs e elemento fixo da actual banda de David Fonseca), Rita encontrou o caminho certo.

Depois de exposto o single de apresentação “Dream On Girl”, que muito se ouviu e que tanta expectativa se gerou para saber o que poderia vir a seguir, o disco apareceu e com ele, uma mão cheia de perfeitos singles.
“The Beginning Song” trás consigo um viciante toque de piano em ambiências “country”. A voz e a dicção de Rita saltam de imediato aos ouvidos e é logo posta em papel de parede para que não desapareça até ao final do disco. Tal coisa não irá acontecer.
“Pizicatos” saltitam dos violinos de “Hey Tom”. Perfeito. Calmamente caminhamos pelos caminhos românticos de “Choose Love”. Uma vez mais a voz e o piano conseguem ser um só.
Com o tema titulo “Golden Era” a fazer lembrar um universo Goldfrapp, surge de imediato o delicioso “Once I Find You”. Mais um single perfeito para demonstrar este projecto ao mundo. Rita Redshoes pode muito bem colocar este livro de canções debaixo do braço e abrir página por página ao mundo exterior (estrangeiro). Tem tudo para isso acontecer.
No final do disco encontramos momentos mais relaxantes com “Blue Bird on a Sunny Day” e “Minimal Sounds” onde somos assumidamente embalados ao som dos violinos em sintonia com o piano e os pequenos toques celestiais.
“Your Waltz” dá-nos de volta a alegria e mais um momento dançante é sugerido com “Love, What is it?” A resposta à pergunta está no último tema do disco, “Love is, Love You”. E haveria melhor forma de acabar um disco tão apaixonante?...

Este é sem duvida um disco que fala de amor e que nos invade como um aromatizado vento fresco. Com este vento, uma estrela nasce e cresce a grande velocidade. Esperemos que este vento nunca pare de soprar e que consiga trazer num futuro próximo muitas tempestades para a musica portuguesa…

Vitor Pinto

Mais Discos Fenther