Bandas/Discos | Crónicas | Livros | Eventos | DJ7 | Links | Apoios | Home


Mais Discos Fenther

Edições ao telescópio...

The Poppers - Dapunksportif

Chegamos a meio do ano, e as novidades vão nos chegando. Desta vez, vamos de encontro a dois discos distintos. Dois discos para a estreia dos The Poppers e dos Dapunksportif.
Em ambas, existem pontos favoráveis para a nova musica portuguêsa.

Os lisboetas The Poppers foram vencedores do festival de musica moderna de Corroios no passado ano. Apartir daí, uma onda de concertos e o registo «Boys Keep Swinging» a sair com a ajuda de Paulo Miranda na produção.
Há aqui, num registo de pouco mais de 35 minutos, muita energia. Muito rock embebido nuns "Stones", capultando modernismo e ar puro. Isso é notório logo no primeiro tema "Charlie is a Sinner", e o seguinte "Mrs "A"", não fica atrás com um orelhudo e saudável momento. O pop britânico na referência a "You Don't Care" o que nos leva a questionar se estaremos aqui na presença de uns Beatles "tugas". Agrada-nos a ideia.
"All the Way" assumido como segundo single e muito bem escolhido, preenchendo assim o lugar do single de apresentação "Days of Summer", tema acústico que felizmente se ouve por ai. O rock'n'roll continua por mais seis temas. Saboroso "Timeless City", com a mesma temática dos anteriores, os The Kinks em evidência, como eles próprio assumem, em "Lucy" e "Giant Soul". Fabulosos temas, por onde se consegue apurar o melhor da voz com a secção ritmica, o que nos deixa levar a eleger como os melhores temas deste disco.
Agarrem estes rapazes por favor. "You & I" conta com a ajuda de Paulo Miranda, "45" no regresso ao rock sublinhado e um sorriso no final para outro tema acustico. "She's on My Mind". Os The Poppers estão.

Já os Dapunksportif, aparecem num álbum curto, com sete temas em formato EP, de seu nome «Ready! Set! Go!». Igualmente o registo de estreia, mas aqui sente-se uma outra vibração. Os Queens of the Stone Age poderiam ser aqui confundidos, mas não. É o tema de arranque que serve de single e de cartão de visita. Não poderia ser melhor. "I Can't Move (But My Head Runs Like a Horse)". Perfeito!
De imediato, sem quebras, é nos oferecido "Summer Boys". Mais um tema bastante forte desta dupla que se evidencía. Paulo Franco e João Guincho. Há nestes dois c érebros muita vontade, muito rock para fazer explodir. Acendam-lhes o rastilho e o resto faz-se ouvir, como no potente "My World Got Itself in a Hurry".
O poster incluído no disco, retrata a dupla em vários momentos chave da musica que os destingue. Muito bem conseguido este momento. Cauteloso "Private Disco", numa outra onda vibrante, e o radio do Chevrolet é activado at é serem derretidos os d écibeis de "Temporary Insanity". Mais agressões ao som perfeito e mais energia tecida pelo rock dos Dapunksportif. Sente-se mais calor com "Arabian Princess" e " Lady 666" é a p érola final. Um reflexo consciente da perfeita melodia, o que nos permite voltar a mergulhar no som destes dois rapazes.

Dois discos diferentes mas que se unem atrav és do resultado fabuloso no final, e ambos a saírem pelas mãos da Rastilho.

Vitor Pinto

Mais Discos Fenther