noticias.hoquei.em.patins@gmail.com         NHP © 2022     

Play-off | Antevisão feita pelos 8 clubes

Esta quarta-feira arrancam os quartos de final do play-off do Campeonato Nacional da 1ª Divisão. Quatro partidas que se jogam à melhor de três, entre os oito primeiros classificados da fase regular.

O treinador do SL Benfica, Nuno Resende, explica que o conjunto está «focado nesta parte final importantíssima do campeonato» e que quer iniciar o play-off «da melhor forma possível, encontrar o ritmo e estar competitivos no máximo». O objetivo é «ultrapassar um Valongo que tem qualidade, juventude e irreverência, mas que nós claramente queremos vencer e teremos de o fazer sendo mais fortes, mais concentrados e mais determinados. Esse é, sem dúvida, um grande desafio para nós nestes quartos de final, com o objetivo claro de alcançar as meias-finais».

Do lado da AD Valongo, Edo Bosch considera que «o Benfica é, primeiro que tudo, uma grande equipa com grandes jogadores» e, após a presença na Final da Liga Europeia, explica que «este play-off chega num momento em que saímos de um fim de semana com um desgaste mental e físico muito grande». O treinador salienta que a equipa vai «entrar com toda a força e vontade de fazer o melhor possível». «Gostaríamos muito de passar à semifinal, mas para isso temos de ser muito competentes e ser muito nós. E vamos tentar ser».

Para o treinador do Sporting CP, Paulo Freitas, estes são uns quartos de final «com um grau de dificuldade acentuado face à qualidade do opositor e à muito boa época que acabou por fazer, o que lhes traz expectativas legítimas de seguir em frente» pois é uma equipa «muito competitiva e bem orientada».
O técnico sublinha a convicção de que será «um Sporting determinado e ao melhor nível para podermos ultrapassar este adversário».

Do lado do HC Braga SAD, o treinador, Tó Neves, refere que «o Sporting é uma equipa sem pontos fracos, muito competitiva e um grande candidato ao título nacional».
«No play-off é muito difícil um outsider surpreender. O Sporting vai estar bem atento e vai querer resolver o jogo fácil». Em relação ao HC Braga SAD, o treinador considera que a equipa já fez «muito acima das expectativas» e acredita que «temos a vantagem de não termos pressão nenhuma sobre nós e vamos tentar complicar o máximo possível a vida ao Sporting e tentar ser o mais competitivos possível e que a sorte também esteja do nosso lado».

Do lado da UD Oliveirense, o treinador, Paulo Pereira, acredita que «será um jogo extremamente difícil como têm sido até aqui com o OCB». «São duas equipas que se conhecem muito bem, mas jogamos em nossa casa e esperamos, com o apoio do nosso público, vencer este jogo – com maior ou menor dificuldade – mas queremos a vitória do nosso lado».

Para o técnico do OC Barcelos SAD, Rui Neto, «por agora ser a eliminar temos de procurar sempre a vitória. Não há empates, por isso, em cada jogo tem de haver um vencedor e é à procura disso que vamos, da vitória» e que «o objetivo é claramente chegar às meias-finais».
Para o treinador «é fundamental entrar bem nesta fase da competição» uma vez que «pela classificação atribuída, estamos em desvantagem em caso de ser necessário o terceiro jogo». Ciente «das dificuldades que vamos encontrar e do jogo em si, que vai ser bastante difícil, porque vamos defrontar um adversário bastante valoroso», Neto acrescentou que espera «um jogo com muito apoio nas bancadas. Os nossos adeptos nunca nos defraudam e estarão mais uma vez para nos apoiar».

O treinador do FC Porto/Fidelidade, Ricardo Ares, afirma que o conjunto portista está «a entrar na época de todas as decisões». «É uma fase bonita e emocionante do campeonato, que tem de ser preparada da melhor forma». Para o técnico, «o SC Tomar é um adversário de respeito, que olharemos olhos nos olhos para seguirmos para as meias-finais. O FC Porto é um clube que luta para vencer e é isso que estamos preparados para fazer».

No que diz respeito ao SC Tomar/IPT o treinador, Nuno Lopes, espera «um jogo dificílimo» com uma equipa fortíssima», além de que «jogar no Dragão não tem sido fácil para nenhuma equipa, também não seria para o Sporting de Tomar». O técnico espera «um Porto forte com vontade de resolver o jogo nos primeiros minutos» cabendo ao conjunto de Tomar «contrariarmos, equilibrarmos as forças e esperarmos a nossa oportunidade». «É exatamente isso que vamos fazer, conscientes das dificuldades, mas ambiciosos e sempre com vontade de, no mínimo, equilibrar o jogo, bater o pé ao Porto e trazer o jogo para Tomar» disse, sublinhando que a equipa joga «para ganhar, nada temos a perder. Tem sido assim a nossa matriz desde o primeiro dia da época e será assim até ao final».

Fonte: fpp.pt