A.A.A.
Access All Areas



Estivemos à conversa com os You Can't Win, Charlie Brown a proposito da edição de "Marrow".

Fenther – "Marrow" marca uma nova etapa na existência dos You Can't Win, Charlie Brown?
You Can't Win, Charlie Brown – Todos os nossos álbuns marcam de alguma forma uma nova etapa na existência da banda, até porque uma das poucas premissas que temos é não repetir o que já fizemos. No caso concreto do Marrow, optámos por uma abordagem mais orgânica e mais focada na dinâmica de tocar ao vivo, em contraste com os anteriores que eram mais cerebrais e mais baseados no trabalho à distância (via internet).

Fenther – Sentem-se pioneiros de alguma forma, na musica nacional?
You Can't Win, Charlie Brown – Nunca pensamos nesses termos, limitamo-nos a fazer a música que gostamos e tentamos não nos repetir para que continue sempre a ser interessante para nós.

"Em 2016 foi muito interessante ver cada vez mais bandas a terem destaque lá fora, espero que essa tendência continue."

Fenther – Houve ajuda externa na criação deste "Marrow"?
You Can't Win, Charlie Brown– Sim, foi gravado no estúdio HAUS por Fábio Jevelim, Makoto Yagyu (ambos dos PAUS) e Miguel Abelaira, com mistura de Luís “Benjamim” Nunes e masterização de Alan Douches.

Fenther – O vídeo de Above the Wall quem o criou? Está excelente…
You Can't Win, Charlie Brown– Foi o nosso Tomás Sousa que realizou, com produção dos We are plastic too.

"...limitamo-nos a fazer a música que gostamos e tentamos não nos repetir para que continue sempre a ser interessante para nós."

Fenther – Como classificam o vosso som? É classificável?
You Can't Win, Charlie Brown– Talvez seja, mas para nós é muito difícil de o fazer porque estamos envolvidos no processo de uma forma emocional e não temos o distanciamento necessário para o classificar de uma forma racional e objectiva.

Fenther – Se os You Can't Win, Charlie Brown fossem uma cor, que cor seria? Porquê?
You Can't Win, Charlie Brown– Castanho, porque está no nosso nome. :)

Fenther – Onde vão apresentar o disco brevemente?
You Can't Win, Charlie Brown – O próximo concerto será a apresentação do disco no CCB a 19 de Janeiro, onde vamos ter vários convidados especiais que nos vão dar uma mãozinha nalgumas músicas. A seguir temos várias datas mais pelo Norte do país, podem consultar a lista completa em https://www.facebook.com/Youcantwincharliebrown/

Fenther – Estado da musica actual nacional?
You Can't Win, Charlie Brown (Luis C.) – Pessoalmente acho que 2016 foi um dos melhores anos de que tenho memória para a música nacional, saíram uma série de álbuns incríveis nos mais variados estilos e vários novos projectos muito promissores. Também foi muito interessante ver cada vez mais bandas a terem destaque lá fora, espero que essa tendência continue.

Fenther – Podes recomendar 2 ou 3 bandas?
You Can't Win, Charlie Brown (Luis C.) – Pegando na resposta anterior, posso sugerir 2 projectos novos que me conquistaram este ano: a Surma, que apesar de ainda só ter um single gravado tem dado muito que falar com as suas incríveis performances ao vivo em formato one-girl-band, e os Sweet Nico que têm um óptimo álbum de estreia recheados de belíssimas canções de dream-pop.

Fenther – Mensagem final...
You Can't Win, Charlie Brown – Vemo-nos para o ano num palco perto de vocês!

Vitor Pinto