A.A.A.
Access All Areas




Estivemos à conversa com os Moonshiners sobre a edição do álbum "Prohibition Edition".

Fenther – Quem são e de onde nos chegam os Moonshiners?
Moonshiners – Os moonshiners são Gamblin' Sam (voz e harmónica), Susie Filipe (bateria) e Vítor Hugo (voz e guitarra), e surgem em Aveiro, no início de 2012. Somos um trio de amigos apaixonados pela música e pela vida, com o objectivo comum de escrever canções e de partilhá-las com o resto do mundo.

Fenther – Até chegar a este "Prohibition Edition" qual foi o caminho?
Moonshiners– Foi um longo caminho de muita estrada de norte a sul de Portugal e além fronteiras, com dois Eps na bagagem e muito suor, luta e perseverança à mistura. O amor e confiança que guardamos dos quase 500 concertos que já demos, alimenta-nos e faz-nos continuar. Estamos muito agradecidos por todos esses momentos mágicos, dentro e fora de palco.

"Poder receber o amor do público longe de casa é muito gratificante e fortalecedor."

Fenther – Como correu a vossa passagem pelo Eurosonic na Holanda? Valeu a pena?
Moonshiners– Correu muito bem. O Eurosonic foi um bom batismo, ficámos a saber que o nosso licor musical também embebeda por lá. O feedback foi bastante positivo e abriu-nos portas para outros países, nomeadamente, Hungria e Espanha. Este ano voltamos à Holanda para uma mini-tour em Junho. Poder levar a nossa música além-fronteiras é sempre muito especial. É como se fosses mostrar um filho ao mundo (ou o mundo ao filho). Poder receber o amor do público longe de casa é muito gratificante e fortalecedor.

Fenther – Preparados para a estrada para apresentar este registo?
Moonshiners– Já nascemos preparados. Estamos a preparar um concerto enérgico e contagiante, um alinhamento essencialmente focado no Prohibition Edition, que também visita o nosso passado. Em palco, vamo-nos fazer acompanhar de baixo (Bruno Barreto) e saxofone (Gabriel Neves).

"Somos um trio de amigos apaixonados pela música e pela vida, com o objectivo comum de escrever canções e de partilhá-las com o resto do mundo."

Fenther – Data internacionais? Algo a ser programado?
Moonshiners– Sim, estamos a programar a tour internacional de apresentação do “Prohibition Edition”. Para já, estamos confirmados no Surfana Festival 2018, na Holanda. Em breve, teremos mais novidades.

Fenther – Podem levantar um pouco o pano sobre este "Prohibition Edition"?
Moonshiners– “Prohibition Edition” é a síntese da nossa convivência musical desde o início. Foi gravado, misturado e masterizado por Hugo Grave, ao longo de um ano, e apresenta canções muito diferentes entre si, rítmica e melodicamente. Cada tema tem um B.I. próprio, por vezes várias nacionalidades. É o espelho de cada um de nós em particular e da banda em geral. Os músicos convidados também desempenharam um papel fulcral na construção e sonoridade do álbum. Sem eles, o resultado final teria sido muito diferente.

Fenther – Os dois singles expostos refletem a essência do restante álbum?
Moonshiners – Sim, sem dúvida. A “Hello Again” é muito diferente da “Tipsy Chicken”, e estas duas são muito diferentes do resto do álbum. “Prohibition Edition” é um álbum com bastante variedade a nível de sonoridades, muito mais que os EPs. Cada música fala por ela própria.

Fenther – É difícil fazer musica em Portugal e viver dela?
Moonshiners– Fazer musica é fácil, viver dela…

Fenther – A música nacional está de boa saúde? O que recomendam?
Moonshiners– Sim, sem dúvida alguma. Há malta a fazer coisas incríveis e refrescantes. Um Dó Li Tá…. O Gajo

Fenther – Mensagem final...
Moonshiners– Let’s Grow Fat Together

Vitor Pinto



      geral@fenther.net       Ficha Técnica     Fenther © 2006