Aftershow
Eventos
Discos
Banda X
Porta 253
Borlas
Fenther TV
Passatempos
Arquivo
Enciclopédia
Ficha Técnica



























































A.A.A.
Access All Areas


Estivemos à conversa com César Cardoso a propósito da edição de "Dice Of Tenors".

Fenther – Quem é e de onde nos chega César Cardoso?
César Cardoso – É um músico nascido em Leiria que começou cedo a estudar música, e que chegou ao Jazz através de uns workshop na região de Leiria e mais tarde através da escola do Hot Clube de Portugal. É um músico que pretende deixar uma marca na história do Jazz, criando sempre mais música, CD’s e livros de modo a ajudar à divulgação e evolução deste estilo musical.

Fenther – Do jazz mais profundo até aos grandes palcos! É essa a tua intenção?
César Cardoso– A minha intenção é sempre divulgar o Jazz e a música que escrevo. Sempre bom sentir que as pessoas ouvem o nosso trabalho e que nos dão valor.

"Estou mesmo contente com o resultado final. Penso que seja um disco muito diferente do que se faz cá em Portugal, uma nova abordagem."

Fenther – Como te sentes a editar um disco numa altura tão dificel como esta?
César Cardoso– Realmente estamos a atravessar uma época terrível, então para nós músicos será sem dúvida os piores anos de sempre. Quando previ lançar o disco não estava à espera que isto acontecesse, o disco começou a ser preparado em finais do ano passado e no início deste ano ficou definido o seu lançamento ser a 17 de Abril.

Fenther – Podes levantar um pouco o véu sobre este teu registo?
César Cardoso– Este disco foi um projeto bastante arrojado da minha parte. Lancei um desafio a mim mesmo na criação de um grupo e de uma estética de composição/arranjo que nunca antes tinha feito, uma abordagem nova com diferentes ideias rítmicas e harmónicas. Além disto lancei também o desafio a estes 7 incríveis músicos que me acompanham, sendo 3 deles músicos estrangeiros tornando tudo mais complexo e difícil de gerir, mas tudo correu da melhor maneira possível. Estou mesmo contente com o resultado final. Penso que seja um disco muito diferente do que se faz cá em Portugal, uma nova abordagem.

"Sempre bom sentir que as pessoas ouvem o nosso trabalho e que nos dão valor."

Fenther – Quem está contigo neste "Dice of Tenors"?
César Cardoso– Neste Ensemble podem ouvir: César Cardoso (sax tenor), Jason Palmer (trompete), Miguel Zenón (sax alto), Massimo Morganti (trombone), Jeffery Davis (vibrafone), Óscar Graça (piano), Demian Cabaud (contrabaixo) e Marcos Cavaleiro (bateria).

Fenther – Onde ou o que te inspira para estas criações?
César Cardoso– As influencias são várias, sobretudo através do Miguel Zenón, com quem tenho colaborado nos últimos 2 anos, e também com o contacto com músicos como Guillermo Klein e John Hollenbeck.

Fenther – Ideias e projectos para o reencontro com a normalidade?
César Cardoso– Para já pretendo divulgar o máximo este trabalho que tanto me orgulho, depois veremos o que acontecerá, o ideal é pensar dia a dia.

Fenther – O que recomendas no meio da musica nacional?
César Cardoso– Cada um tem sempre uma opinião muito própria do que nos rodeia, e a minha é que temos de lutar muito por aquilo que queremos e sobretudo criar um registo, um currículo, tentar todos os dias aperfeiçoar, de modo a tornar-nos músicos cada vez melhores e reconhecidos pelo nosso empenho e dedicação.

Fenther – Mensagem final...
César Cardoso– Ouçam o “Dice of Tenors”, estou muito orgulhoso do resultado final e sinto que seria uma pena as pessoas não conhecerem este disco. Ouçam muita música no geral e apoiem os concertos ao vivo, os músicos precisam desse suporte por parte do público em geral.

Vitor Pinto