A.A.A.
Access All Areas



Estivemos à conversa com Birds Are Indie a proposito da edição de "Let s Pretend the World Has Stopped"

Fenther – As devidas apresentações...
Birds Are Indie – Os Birds Are Indie são compostos por três velhos amigos trintões, em que dois são um casal. Fica à vossa imaginação adivinhar...

Fenther – Antes deste "Let's Pretend the World Has Stopped", o que há no vosso historial?
Birds Are Indie – 6 anos de muitos Ep's gravados, impressos, cortados, colados, estampados e montados em casa, dois álbuns em CD, 1 reedição especial do primeiro álbum com um caderno ilustrado, e uma edição em cassete. Foram anos de muita aprendizagem e aperfeiçoamento que culminaram na sonoridade do Let's Pretend The World Has Stopped.

"O branco é uma cor pura, sem pretensiosismos, que resume bem o nosso som."

Fenther – Uma cor para este disco? Porquê?
Birds Are Indie– Branco. Por duas razões: primeiro pela edição do vinil cuja a capa e o próprio disco são predominantemente brancos, e segundo é uma cor pura, sem pretensiosismos, que resume bem o nosso som.

Fenther – Identificam-se mais com os temas refrescantes e calmos ou com os mais dançáveis?
Birds Are Indie – Após 6 anos de concertos, vimos pela primeira vez, pessoas no público (no Bons Sons) a cantar e dançar algumas das nossas músicas. Foi um "choque" bom para nós. Embora nos dê mais gozo tocar as mais mexidas, nunca pensámos na nossa música para as "pistas de dança".

Fenther – Onde alimentam as vossas inspirações?
Birds Are Indie – Principalmente do dia-a-dia, nosso ou de outras pessoas.

"Foram anos de muita aprendizagem e aperfeiçoamento que culminaram na sonoridade do Let's Pretend The World Has Stopped."

Fenther – Quem convidaram para ajudar neste disco?
Birds Are Indie – Somos muito auto-suficientes mas como (infelizmente) não sabemos tocar violino, neste disco convidámos a Susana Ribeiro (que foi dos a Jigsaw) para tocar numa música (Springtime) onde sempre imaginámos esse som.

Fenther – Vamos poder ver essa ajuda externa também em palco?
Birds Are Indie – Será complicado, mas nestas coisas temos aprendido que não há impossíveis...

Fenther – Que vai acontecer onde?
Birds Are Indie – Desde que o disco saiu em Março poucos são os fins-de-semana que ficamos por Coimbra. Um pouco por todo o país e ainda 3 tours em Espanha. As próximas semanas vão ser assim:
29 Outubro / COIMBRA / Aqui Base Tango (+ Sky Between Leaves) ~ 17:00
31 Outubro / TONDELA / Bar Acert ~ 23:00
01 Novembro / VISEU / Faces ~ 22:00
03 Novembro / LISBOA / Popular Alvalade (+ Senhor Doutor) ~ 21:30
04 Novembro / CASCAIS / Fnac [showcase] ~ 22:00
05 Novembro / ALMADA / Fnac [showcase] ~ 15:30
05 Novembro / ALFRAGIDE / Fnac [showcase] ~ 19:00
12 Novembro / OVAR / Novo (+ Daily Misconceptions + Clementine + Miss Cat e o Rapaz Cão) ~ 23:59
13 Novembro / AVEIRO / Trilhos da Terra [showcase] ~ 18:00
E também temos marcada mais uma tour em Espanha, entre 5 e 9 de Dezembro, em Valladolid, Gijón, Santander, Pontevedra e Ourense. Em breve haverá mais detalhes...

Fenther – Musica nacional actual... De boa saúde? O que recomendam?
Birds Are Indie – Com uma saúde invejável! De Coimbra recomendamos os The Twist Connection (com álbum de estreia a sair), os The Parkinsons (com reedição, em vinyl, do 1º disco), os a Jigsaw (que são incríveis e incansáveis), os Ghost Hunt (que se dividem com Lisboa), os d3ö (que andam a preparar novidades).

Fenther – Mensagem final...
Birds Are Indie – Venham dizer olá no fim dos concertos!

Vitor Pinto