Noite Xita

Em funções desde 1994 a Galeria Zé dos Bois é já uma sala de culto na capital empenhada em dar a conhecer a um público em geral as artes contemporâneas nas suas mais variadas formas. Pintura; fotografia; cinema; teatro; performances ou Música, a Zdb marca o passo na divulgação cultural, sobretudo de artistas emergentes.
No que toca à música em específico, a sala tornou-se num espaço confortável para quem quer explorar o universo da música alternativa e underground, seja ela nacional ou internacional, Com Sérgio Hydalgo, por norma, na frente da curadoria da ZDBmüzique e a trazer as hostes à sala, o passado sábado (04/02/17) trouxe consigo um gosto diferente.
Trouxe concertos, muitos concertos. Mas mais do que isso trouxe uma reunião de amigos. Pessoas com gostos em comum, pessoas que se conhecem bem, pessoas que trabalham juntas, mas acima de tudo pessoas que têm uma coisa em comum – a Música.

Um grupo muito jovem, que está a marcar o cenário musical português actual, que adora música, que adora fazer música, e que adora partilhá-la também.
É a Xita Records.

Nascidos em 2015 , a editora indepedente marca a diferença não só por aquilo que produzem, livre de preconceitos e de standards, mas também pelo ambiente familiar e descontraído com que se apresentam e actuam.
Afinal de contas, encontram-se entre amigos, porque não haveria de ser assim? Pelo segundo ano consecutivo foi apresentada uma noite Xita. A primeira realizada a 30 de janeiro de 2016 no Eka Palace mostrou-se um sucesso, o que acabou por culminar nesta segunda. Uma noite dedicada a uma editora indepente que está em crescimento, que quer crescer, e que pelos vistos tem muito espaço para isso, e público também.
Pelo segundo ano esta é uma "noite" que serve de montra para aquilo que será o ano editoral da Xita. Com "veteranos" e "caras novas" o cartaz foi apresentado, os bilhetes foram sendo reservados e comprados, não sei se lotação esgotou, mas que a sala estava composta, lá isso estava. E então chegámos ao dia. Ou "noite".
E que "noite" esta!

Começou cedo (perto das 16:45) e acabou tarde (lá pelas 3:00) mas não houve um único momento estanque. Mesmo no que seria suposto ser a pausa para jantar, houve entretenimento por parte do grupo de teatro O Joelho.
Lucía Vives, a mulher ao leme da Xita, abriu a "noite", e todos os três responsáveis da Xita passaram pelo palco. Um pouco depois seria João Raposo, e já de noite Primeira Dama. Do cantautor, ao electrónico, ao rock, passando pelo punk, roçando o grunge e com os Djs Hipster Pimba e Dj Meias pelo meio, a noite estava garantida. A audiência aderiu, os artistas ficaram rendidos.
Quanto ao alinhamento, houve um pouco de tudo. Grande parte dos nomes que são representados pela Xita, marcaram presença. Mas houve ainda espaço para convidados. De salientar dois, os The Sunblossoms vieram trazer o seu Psych Punk e fazer o público abanar a cabeça, e o Filipe Sambado fez o favor de nos presentear com um coro de Primeira Dama. Não poderíamos ter mais razões para agradecer. (Ainda encontrámos o Marcelo Perdido ali pelo meio, apesar de infelizmente não actuar)

Nomes que queremos gravar, enquanto bandas a seguir / concertos memoráveis:
– Kerox+Gon
– Aerogasmo
– Quito
– Sunblossoms
– Grand Sun
– Primeira Dama
– Veenho
– Ninaz
– Migas
Houve uma reunião de amigos.
Houve muita música, para todos os gostos.
Houve um ambiente chill.
Houve teatro.
Houve hamburgueres Vegan!
Houve um ambiente familiar, onde apesar de não fazermos parte da "família", nos sentimos incluídos. (aquele sentimento de estarmos a entrar na garagem onde um grupo de amigos treina os seus futuros êxitos).
Houve mais uma Noite Xita!

E foi um sucesso ainda maior do que a anteriror.
Foi uma noite bonita para quem gosta de música, para quem gosta de arte, e para quem gosta de experimentar algo de novo.
Ainda não há uma noite Xita # 3 marcada, mas por mim reservo já o bilhete.
Garantidamente não vai desiludir.☆

Texto e fotos: Filipe Martins


      


    

    

    

    

+ Aftershows      

      geral@fenther.net       Ficha Técnica     Fenther © 2006