Cascais Groove

Após a sua primeira edição em 2016, o Cascais Groove voltou este ano com uma aposta ainda mais forte no seu conceito matriz. Em nome do Groove, o festival transitou para o Parque Marechal Carmona, um ambiente mais natural, acolhedor e fresco para as noites de Verão. Apesar da sua forte extensão, o parque não deixa de estar integrado num centro urbano, é por isso o escape perfeito para o fim do dia, o escape que oferece concertos intimistas a céu aberto, além de contar igualmente com uma oferta de comida mais alternativa.

No último dia do festival, o palco estava reservado para o due norte-americano Thievery Corporation, mas ao contrário do dia anterior, não houve lugares sentados, nem tal teria sido apropriado. Após terem marcado presença no Coliseu dos Recreios a Fevereiro deste ano, voltaram a Portugal, e com forte expectativa, tal como anunciaram nas redes sociais. Como não podia deixar de ser, continuam a enaltecer o seu mais recente trabalho “The Temple of I & I”, e felizmente não esqueceram “Saudade”, um disco com inspiração total na música brasileira. Então, em frente a um mar de gente que ocasionalmente era iluminado pelo palco, a banda actuou como é seu hábito, alternando o protagonismo, ora às vezes Mr. Lif, outras vezes Puma Ptah, e ainda Natalia Clavier.

O ambiente era de uma descontração total. Ao longe, mas com visibilidade para o palco, havia várias pessoas a apreciar o espectáculo, excepto que sentadas em bancos e na relva. Mais próximo do palco era possível obter vislumbres de quem dançasse com os pés descalços na relva, e não muito longe havia crianças a brincarem, fosse à bola ou às escondidas. Acredito que seja este o espírito que o festival persegue, que vai além das músicas que levantam braços e que criam ecos de aplausos, sendo uma noite prazerosa para todos. E mesmo com estas características todas, ainda se soma um detalhe significativo. Quando chegou o momento dos artistas sairem do palco, foi possível obter um encore que facilmente se prolongou por meia hora, tal foi o carinho mútuo entre músico e fã. Foram estes os últimos momentos da segunda edição do Cascais Groove, e é assim que de edição para edição têm vindo a assegurar uma maior audiência. ☆


Texto: Tobias de Almeida
Fotos: Ana Pereira


      

    

    

    

    

    

    

    

    

    

+ Aftershows      

      geral@fenther.net       Ficha Técnica     Fenther © 2006