A 15.ª EDIÇÃO DA BRAGA ROMANA
REVIVER BRACARA AUGUSTA

De 23 a 27 de Maio a recriação histórica Bracara Romana proporcionou aos bracarenses [e não só] uma viagem por uma das mais significativas páginas da história da cidade de Braga.O evento promoveu cinco dias de festa marcados pelo envolvimento de toda a comunidade,destacando-se as escolas que mobilizaram 6500 alunos para participar nos diversos eventos.
A cidade voltou a vestir-se a rigor para recriar o quotidiano da opulenta Bracara Augusta, e assim reviver um periodo fundamental da história de Braga. Nesta 15,ªedição da Braga Romana, o mote foi precisamente a promoção e a valorização do legado romano que se encontra na génese da identidade dos bracarenses.
A Braga Romana contou este ano com mais de 72 horas de programação ininterrupta e cerca de 200 espetáculos em palco.A estes juntaram-se 185 saídas de animação ambulante, 103 mercadores no Mercado Romano(Mercatus Romanus)situado no centro histórico.Este ano o evento contou com o aumento da área de artes e oficios no Largo de S. João do Souto, onde estava instalado o (Bestiarum Locus)-exposição e demonstrações de cavalos, cães e aves de rapina e também a (Ars Monetae)-cunhagem de moedas.No Largo do Paço estava instalado o(Castra Leg.VI Victrix)-acampamento militar, onde se representava o quotidiano dos legionários na (Legio VI Victrix), legião presente em Bracara Augusta no tempo de César Augusto.No acampamento os visitantes poderam ser recebidos nos aposentos do General Agrippa e ficar a conhecer melhor as indumentárias, construção de armamento, técnicas de combate e encenações de exercícios.Por várias ruas do centro histórico, o (Mercatus Romanus)pode ser expandido e nele apreciado os vários produtos como metais,olaria, tecelagem,bijuteria,cestaria,vidro,cantaria,couro,marcenaria,produtos naturais e alimentares.Nas (Domus Ciborum)-areas de alimentação, os visitantes poderam deliciar- se nas Tabernae com os mais simples petiscos ou os mais elaborados pratos de inspiração ou receita romana.
A (Lustrationes)-animação ambulante com personagens inspiradas na mitologia romana,artes e ofícios e figuras do imaginário invadiram a cidade de Braga e interagiram por todo o Mercatus,mas também performances de comédia,musica,tributo aos deuses,vendedores ambulantes,encantadores de serpentes e bailarinas que deambulavam pelas ruas e praças,honrando o Deus Lupercus e fizeram da Braga Romana uma viagem de 2000 anos mágica e fantasiosa.
A Braga Romana é uma viagem pela história de Bracara Augusta que só é possível graças ao envolvimento de instituicões,associações e escolas que evocam o pa ssado da cidade fundada por César Augusto.As ruas do centro histórico foram,uma vez mais,o palco privilegiado para a reconstituição das atividades económico-sociais da época,com animação de rua constante,com cortejos,espetáculos e representações teatrais.Recorde-se que Bracara Augusta foi fundada cerca de 16 a.C. pelo imperador César Augusto,após a pacificação definitiva da região.A partir da reforma do imperador Diocleciano passou a ser a capital da província da Galécia.No século V. Braga foi tomada pelos invasores suevos,que a escolheram como capital do seu reino,o que marcou o fim da presença romana na região minhota.☆

Texto e fotos: Steve Blackatus


      

    

    

    

    

    

    

    

    

    

    

    

    

    

    

    

    


+ Aftershows      

      geral@fenther.net       Ficha Técnica     Fenther © 2006