Omiri + Cabra Cega – Hard-Club, Porto – 25-11-2017

Vasco Ribeiro Casais, mentor do projecto Omiri, é o que se pode chamar um verdadeiro “homem dos sete instrumentos”. No passado dia 25 de Novembro transportou a sua parafernália de instrumentos musicais ao Hard Club no Porto e fez a festa. A primeira parte esteve a cargo dos bracarenses Cabra Cega.

A festa teve início com o som das gaitas de foles e das percussões do quarteto nortenho (a lembrar a sonoridade dos Gaiteiros de Lisboa).
Um concerto curto mas competente, suficiente para por alguns elementos do público a dançar energeticamente. A resposta entusiástica dos presentes ao convite para dançar e cantar ficará sem dúvida na memória dos músicos.

Após uma rápida mudança do palco, Vasco Ribeiro Casais inicia logo de seguida a apresentação de vários temas do mais recente álbum, “Baile electrónico”.
Uma das peculiaridades dos concertos de Omiri é a sua forte componente audiovisual.
Os sons das gaitas, cavaquinho, nyckelharpa, bouzouki e braguesa (tocados ao vivo) são complementados com projecções em vídeo da autoria do realizador Tiago Pereira, numa mescla de sons e imagens que são uma verdadeira homenagem à música tradicional portuguesa.
Esta mistura de sons pré-gravados com instrumentos tocados ao vivo lembra um pouco o que fez a Sétima Legião nos tempos do “Sexto Sentido”. Vasco Ribeiro Casais leva, no entanto, este seu “caldeirão” de sons um pouco mais longe com a adição da imagem, tornando este seu projecto num dos mais inventivos e originais de sempre na história da música portuguesa. Por vezes fica-se com a sensação que os “cantadores” e “tocadores” dos vídeos estão presentes fisicamente na sala.
Durante a sua performance, Vasco Ribeiro Casais convida os presentes à dança, uma vez que todos os temas apresentados são dançáveis. Viras, malhões, repasseados, chotiças, corridinhos são alguns dos ritmos presentes no baile.

No final, o músico teceu os melhores comentários aos elementos do público que dançaram todos os temas sempre no ritmo e com o balanço certo.
“Canarinho”, “Corridinho da Margarida”, “Trângolo”, “Glória”, “Fado em Picadinho” (com o acordeão e a voz de Celina da Piedade em vídeo), “País Colmeia” (com a rapper portuense Capicua também em vídeo) e “Truz truz truz” foram alguns dos temas apresentados numa noite plena de energia e devoção às nossas mais ancestrais raízes.
Vasco Ribeiro Casais foi mentor dos já extintos Dazkarieh e milita ainda nos Seiva, mas o projecto Omiri será possivelmente o seu projecto mais pessoal.

A satisfação visível com que o músico e público deixaram o recinto não deixa margem para dúvidas.

Dá vontade de dizer “Foi bonita a festa, pá!”.☆


Texto:João Carlos Barros
Fotos: Rui A Cardoso



      

Cabra Cega

    

    


Omiri

    

    

    


+ Aftershows      

      geral@fenther.net       Ficha Técnica     Fenther © 2006