Aftershow

Milhões de Festa! 2016

O tempo passou a correr nestes últimos dias tal como correu no Milhões de Festa. Foram 4 dias intensos de uma primeira vez em Barcelos que não é para esquecer tão cedo, e que é, sem dúvida, festival a repetir. O ambiente do campismo, o muito calor sentido na piscina e o friozinho que faz à noite ao lado do Rio Cávado juntam-se a inúmeros concertos para vários gostos.
De um primeiro dia tímido de público comparado com os outros três, saliento a prestação única e incrível do pessoal da Favela Discos. O noise experimental e todo o aparato visual do grupo fez com que o público espalhado até essa hora pelo recinto se juntasse em frente ao palco Taina com curiosidade e interesse.

O segundo dia acaba por ser o meu primeiro na piscina, que nesta edição deixou a tradição das bóias bem coloridas e passou a ter dezenas de bolas pretas espalhadas por todo o espaço. Começa com a Surma, que deu a introdução perfeita a uma tarde tão solarenta como a de sexta. Mas para mim, o segundo dia resumia-se a um concerto que, sem pausas, deu tudo o que tinha para dar, pela segunda vez, no Milhões de Festa: The Bug. Desta vez, acompanhado da israelita Miss Red e de Gaika, que tocou no dia seguinte no mesmo palco.

O terceiro dia passou muito bem, entre o fim de tarde na piscina com Adrian Sherwood, com o seu dub e um toque de jungle que deixou agua na boca e, bem à noitinha, Islam Chipsy e a alegria contagiante do eletro vindo diretamente do Cairo.

A despedida de Barcelos foi feita da melhor forma. Destaque claro a Dan Deacon que mesmo com os claros problemas de som que teve no concerto fez com que o público não ficasse quieto e a dança não parava de forma alguma (crowdsurf de pessoas de moletas está incluído no movimento do concerto). O final da noite não podia desiludir, e a Nídia Minaj fez com que ninguém saísse triste do recinto (até porque desconfio que tal coisa é dificil de acontecer depois de qualquer concerto com o cunho da Príncipe Discos). O palco Lovers virou pista de dança e a festa estava e foi feita.

Fotos e texto: Raquel Nunes


Mais Reportagens Fenther