The Horrors + Mueran Humanos @ Lisboa ao Vivo

The Horrors + Mueran Humanos @ Lisboa ao Vivo (10/12/17)

O regresso dos The Horrors era muito esperado, o álbum "V" revelou uma nova faceta desta banda que se tem reinventado trabalho após trabalho. Com eles regressaram os espanhóis Mueran Humanos que passaram recentemente pelo Sabotage Club.

Mueran Humanos é um projecto sem igual, Carmen Burguess e Tomas Nochteff são os mentores deste projecto punk experimental que teve honras de abertura desta “Eurotour” dos britânicos The Horrors. O concerto começou à hora marcada (para surpresa de alguns), e não houve aquecimento, nem foi necessário; os Mueran Humanos dão tudo desde o primeiro instante. Carmen com o seu carisma e forte presença, tanto parece delicada como se torna agressiva agarrando o público na sua mão. Apesar de alguns problemas técnicos a banda soube manter o foco do publico no que se passava em cima do palco, e com certeza terão ganho novos adeptos.

Chegada a hora da atuação dos The Horrors, a banda entra em palco sem cerimónias, entre eles Faris Badwan aparece em palco com um visual renovado que faz recordar os tempos iniciais da banda e com ar de quem está pronto a “matar”. O concerto inicia com “Holograms”, do mais recente trabalho, e de imediato temos à nossa frente um vocalista elétrico e estonteante. A cada tema a banda tocou como se fosse a última vez, acompanhados de um autêntico ataque de strobes que tantas vezes, em conjunto com o fumo e as restantes luzes baixas, tornou dificil ver o que se passava em palco. Não foi preciso aguardar muito para uma viagem ao passado; ao terceiro tema chega-nos “Who Can Say”, um dos temas mais badalados do segundo disco da banda “Primary Colours”. Foi o primeiro momento alto do concerto, ESTES ainda são os The Horrors que nos apaixonaram desde o primeiro dia.
Infelizmente não houve nenhuma visita ao disco de estreia “Strange House” que completou 10 anos em Março passado, no entanto tivemos mais dois temas do disco de 2009, foram eles “Mirror’s Image” e “Sea Within a Sea”. À exceção do primeiro disco, o concerto passou por toda a discografia da banda, sendo também um momento alto a passagem pelo tema "Still Life", single  de apresentação do disco “Skying”, no qual o público cantou com Faris num coro perfeito. O vocalista manteve-se pouco comunicativo no entanto foi interagindo com o público, e num momento de frustração (ou raiva?) abandonou o palco, passando pela plateia, para reclamar com quem controlava o som de palco.

Para o final, já no encore, ficou o tema “orelhudo” do momento “Something To Remember Me By”, um hit perfeito para o dancefloor. O tema encaixou na perfeição e não poderia ser mais certeiro o final desta celebração na capital portuguesa. De referir ainda que se em disco os The Horrors têm vindo a ganhar uma sonoridade mais “calma”, no entanto em palco e ao vivo os temas ganham um poder que se aproxima do que era feito pela banda no inicio da carreira. Aguardamos ansiosamente as surpresas que este colectivo nos trará no futuro, e mais concertos explosivos como este.☆

Texto:Carlos Ferreira
Fotos: Filipe Martins



      

Mueran Humanos

    

    



The Horrors

    

    


    

+ Aftershows      

      geral@fenther.net       Ficha Técnica     Fenther © 2006