Cascais Groove

O calendário marcava 23 de Junho, o dia que daria começo à 2ª edição do Cascais Groove, agora centrado no Parque Marechal Carmona. Com um ar muito tranquilo, um saxofonista, que se encontrava em frente da entrada, tocava as suas melodias suaves enquanto o público ia em direção ao palco.
Por volta das 21:30, ouviu-se o genérico, que passa na Rádio Comercial às 8:50 da manhã, das tão conhecidas Baladas do Dr. Paixão. Entrou em palco então Nuno Markl, encarnando a personagem de Dr. Paixão, e depois o músico João Só, ou Dr. Só, ambos com uma bata vestida. Também o resto da banda alinhou na brincadeira, uma vez que tanto o baixista/pianista como o baterista vinham vestidos como cirurgiões. O espetáculo foi no fundo uma "consulta amorosa", citando Nuno Markl, que estava sentado em frente a uma secretária. João Só terá interpretado músicas que tem composto todas as sextas para a rubrica, e ainda teve tempo para criar uma pequena canção, no momento, para um membro do público que se queixava de problemas com a namorada. Dr. Paixão, entre as canções, teria uma breve conversa com o público que explicava como é que estas surgiam, e aproveitava sempre acrescentar um pouco de humor auto-depreciativo que lhe é tão próprio.

Os protagonistas de Deixem o Pimba Em Paz entravam em palco pouco depois das 23h da noite. Com um ar muito sério, e vestidos a rigor, iniciaram o seu espectáculo que consistia em tocar magníficas covers de músicas tradicionais portuguesas. A voz alternava entre a de Manuela Azevedo, cantora dos Clã, e a de Bruno Nogueira, comediante conhecido que não se portou mal de todo no papel de cantor. Entre a música "Azar na praia" de Nel Monteiro, com um ar dramático, e "A garagem da vizinha" de Quim Barreiros, transformada numa balada surpreendentemente agradável, o público apreciava e aplaudia o concerto, ao mesmo tempo que se desatava a rir do caráter cómico das músicas. Seria impossível Bruno Nogueira não fazer as suas intervenções engraçadas como dizer que Manuela Azevedo era a cantora mais talentosa do Parque Marechal Carmona, e que Filipe Melo, o pianista de serviço, sabia sentar-se muito bem.
O espetáculo acabou, e ficou no ar uma sensação de noite bem passada, com  energias positivas e boa música ainda a tocar nas cabeças de cada um.☆


Texto: Luisa Pereira
Fotos: Ana Pereira


      

    

    

    

    

    

    

    

+ Aftershows      

      geral@fenther.net       Ficha Técnica     Fenther © 2006