Blast Zone

Metz + Moaning

18.04.18 – Hard Club, Porto

Sean Solomon ainda tem cara de adolescente, quase não dá para acreditar que o trio que lidera já tem uma década de existência. E quando explica, que o concerto teve de ser mais cedo que o habitual porque ainda vão tocar em Espanha no dia seguinte, esboça-se um sorriso e pensa-se em quantos grupos locais teriam feito uma melhor figura em palco. Os californianos. desfilaram oito temas do seu trabalho de estreia para a Subpop, fizeram recordar uns Joy Division misturados com o pior de Offspring e nada mais.

A estreia nacional para Moaning foi, nas antípodas do furacão que se seguiu: Metz. Num palco curto, o baixista Chris Slorach movimentou-se como se num estádio, enquanto um endiabrado Hayden Menzies batia duro nas peles. Porém eram meras brisas marítimas face a um Alex Edkins possuído que terminou o encore com guitarra no chão, quase engolindo o micro, enquanto vociferava as letras de “Wet Blanket”. Até lá, gritou, solou, saltou e mostrou como Metz é, talvez, a última banda de punk rock em palco. Os canadenses arrancaram com “The Swimmer” do seu segundo álbum, mas com “Mess Of Wires”, iam ao mais recente «Strange Peace» a que voltariam mais quatro vezes. As restantes descargas eléctricas, «Get Off», «Spit You Out», «Eraser», «Kicking A Can Of Worms », «Nervous System» ou «Headache», já vinham dos outros dois discos. Uns Metz que arrasaram completamente uma sala, com o público exausto, e adrenalina sempre no máximo. ☆


Moaning


Moaning


Moaning


Moaning


Moaning


Moaning


Moaning


Moaning


Moaning


Moaning


Metz


Metz


Metz


Metz


Metz


Metz


Metz


Metz


Metz


Metz

☆☆☆☆☆☆☆☆☆☆☆☆☆☆☆☆☆☆☆☆☆☆☆☆


      geral@fenther.net       Ficha Técnica     Fenther © 2006